Co-financiamento

AVISO Nº 32/SI/2018 - Internacionalização das PME

Projeto de Investimento 043786

PO CENTRO

 

Total Elegível : 154.496,25 Euros

Incentivo final : FEDER 69.523,31 Euros

Taxa de financiamento: 45% (não reembolsável)

Projeto de inovação: Internacionalização

Período de execução: 2019-06-01 e 2021-05-31

A Labfit - Health Products Research and Development Lda projeta, com o presente projeto de investimento, entrar em 4 novos mercados, designadamente Espanha, Países Baixos, Tailândia e Malásia. A Labfit definiu o presente projeto de investimento tendo em vista iniciar o seu processo de internacionalização e responder, entre outros, aos seguintes objetivos de (i) manter-se na fronteira tecnológica do seu sector; (ii) ampliar, de forma coerente, robusta e oportuna, o leque de serviços por si prestado, individualmente ou em parceria; (iii) assegurar a contínua atualização de conhecimentos da sua equipa;(iv) vigiar e controlar a sua concorrência internacional de modo a garantir uma posição de não inferioridade e sempre que possível de competitividade e (iv) internacionalizar-se alavancando a sua atividade e, nessa medida, o seu volume de negócio, a sua rendibilidade e a notoriedade internacional da sua marca (Labfit).

Cofinanciado por:

 

Cofinanciado por:

Copromotores:

AVISO Nº 03/SI/2017- SISTEMA DE INCENTIVOS À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO (SI I&DT)

Projeto de investimento 33815

PO CENTRO – PROGRAMA INTERFACE

 

Total Elegível: 707.770,64

Incentivo não Reembolsável: 478.832,78 

Comparticipação dos fundos europeus - POCENTRO, FEDER

Taxa de financiamento: 67.65% (não reembolsável)

Tipo de projeto: SI I&DT Empresarial em Co-promoção

Projeto: INOVEP – Inovação com Extratos de Plantas

Promotor: LABFIT HPRD – Health Products Research & Development, Lda.

Co-promotores: CICS-UBI – Centro de Investigação em Ciências da Saúde e ESAIPCB – Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de castelo Branco

Período de execução: de 2018-04-30 a 2021-04-29

 

 

O projeto InovEP – Inovação com Extratos de Plantas pretende caracterizar extratos de 10 plantas aromáticas e medicinais no que diz respeito ao perfil químico, segurança e bioatividade dos seus extratos; e desenvolver, na empresa promotora do projeto, com recurso a dois desses extratos, um protótipo de produto inovador patenteável com ação de cicatrização de fissuras.

A experiência da empresa promotora no desenvolvimento de produtos farmacêuticos à base de plantas e o seu conhecimento da realidade internacional neste âmbito apontam a evidência clara da necessidade e ao mesmo tempo, oportunidade, de inovar no sector farmacêutico por via do desenvolvimento de novos produtos de composição natural e com efeito medicinal. 

A caracterização da segurança dos extratos permitirá criar na empresa promotora uma nova competência de ensaio laboratorial in vitro, que constitui a caracterização da eco-segurança destes extratos e cujo processo de implementação e validação se encontra contemplado no curso deste projeto e que consubstancia também um dos seus objetivos. Deste modo a empresa promotora passará a dispor de um novo serviço especializado orientado para um mercado internacional e global.  

Por sua vez, estes objetivos estratégicos contribuem para importantes desideratos:

- valorizar os recursos naturais produzidos na região centro como integradores de produtos transacionáveis de valor acrescentado (explicação mais detalhada abaixo)

- consolidar o trabalho em rede envolvendo entidades empresariais e entidades do sistema I&I em consórcio

- aumentar o investimento empresarial em I&I

- aumentar as atividades económicas intensivas em conhecimentos e criação de valor acrescentado baseadas na inovação

- promover práticas de arrastamento do tecido empresarial por via da valorização da atividade de I&I

- contribuir para a valorização da fileira das plantas aromáticas e medicinais em Portugal, promovendo a sua competitividade e a sua internacionalização

- contribuir para os objetivos gerais e específicos do novo centro de competências em plantas aromáticas, medicinais e condimentares (CC-PMC) recentemente criado pelo Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural do Governo Português.

O projeto InovEP alavancará a valorização económica dos extratos estudados enquanto ingredientes ativos de produtos farmacêuticos inovadores em mercados económicos internacionais, com exigentes critérios de qualidade, como é o caso da indústria farmacêutica.

A estratégia definida neste projeto assente no plano de I&D da empresa promotora para o próximo quinquénio no que diz respeito ao desenvolvimento de produtos inovadores, terá também um impacto indireto no arrastamento do tecido empresarial da região, que tem vindo ao longo dos últimos anos a ver nascer novas empresas familiares de produção de plantas medicinais em condições de produção certificada. Esta evidência da oportunidade de I&D e empresarial em diferentes sectores, relacionada com as plantas aromáticas e medicinais, justificou a criação pelo Governo de Portugal, no corrente ano, de um centro de competências (o CC-PAMC) que visa exatamente catapultar a oferta portuguesa de plantas e extratos de plantas aromáticas e medicinais orientada para um mercado internacional com base no conhecimento científico.

Assim, também os resultados destas atividades serão amplamente divulgados de modo a contribuir, não apenas para a sustentabilidade dos esforços envidados pelas 3 entidades deste projeto, como também, indiretamente contribuir para o efeito de arrastamento do tecido empresarial de empresas já existentes ou nascentes.

O produto inovador desenvolvido pela Labfit ainda no âmbito deste projeto e que constitui por esta via um objetivo do mesmo, será protegido sob a forma de patente internacional (PCT) de modo a sustentar a sua valorização no processo de licenciamento internacional da sua propriedade industrial. Este objetivo do projeto, juntamente com a valorização dos extratos como ingredientes ativos e de valor acrescentado para produtos farmacêuticos, estão alinhados com o objetivo geral do aviso de candidatura de aumentar o investimento empresarial em I&I para promover o aumento das atividades económicas intensivas em conhecimento e a criação de valor baseada na inovação. Este é também um modelo de negócio no qual a empresa promotora detém experiência conforme descrito em sede desta candidatura no respetivo formulário.

O projeto InovEP reúne equipas de trabalho constituídas por investigadores pertencentes aos sectores público e privado, fazendo convergir o setor empresarial com instituições do SCTN, apresentando-se como uma oportunidade de consolidar uma rede que já tinha tido oportunidade de realizar trabalho conjunto e que será claramente reforçada pela aprovação deste projeto. Esta estratégia está alinhada com os objetivos globais do aviso desta candidatura no que diz respeito ao estabelecimento de parcerias entre empresas e entidades do sistema I&I, reforçando a ligação entre os dois tipos de entidades. A estrutura criada neste consórcio e reforçada pelos consultores científicos nacionais e internacionais incluídos no projeto, vem apoiar a estratégia de colmatar as debilidades identificadas na economia portuguesa no que diz respeito à cooperação entre empresas e entidades do sistema I&I com transferência de tecnologia e conhecimento que tenham efeitos favoráveis na cadeia de valor de criação de novos produtos numa dinâmica de cooperação bem como de reforço de competitividade e inserção internacional.

 

 

Cofinanciado por:

AVISO: 23/SI/2015 - QI PME (Individuais - Qualificação, Baixa Densidade)

Projeto de investimento: 008593

PO Centro

Total Elegível : 65.671,08

Incentivo final : FEDER29.551,99

Taxa de financiamento: 45% (não reembolsável)

Projeto de inovação: Marketing+Organizacional

Período de execução: 2015-08-06 a 2017-08-05

A HPRD Health Products Research and Development, Lda., comercialmente conhecida como Labfit, é uma spinoff da Universidade da Beira Interior, criada em setembro de 2012, dedicando-se ao desenvolvimento de produtos inovadores classificáveis como dispositivos médicos ou cosméticos bem como a prestação de serviços I&D na área da saúde. A atividade da empresa insere-se na CAE 72190 - Outra investigação e desenvolvimento das ciências físicas e naturais (a principal) e CAE 20420 - Fabricação de perfumes, de cosméticos e de produtos de higiene (secundária). A Labfit desenvolve a sua atividade desaguando num portfólio que, do ponto de vista comercial, pode ser decomposto em três componentes: novos produtos, resultantes de atividades de I&D; projetos de I&D para empresas farmacêuticas, cosméticas, empresas de inovação em produtos tecnológicos aplicados à saúde; e serviços de caraterização microbiológica, físico-química, de segurança e eficácia de produtos farmacêuticos, cosméticos e biomateriais. A empresa estabelece uma estratégia de internacionalização (está presente em dois mercados internacionais, pretendendo atingir mais quatro). A entidade beneficiária detém duas marcas próprias: a Labfit, registada a nível nacional, e a Dermalstick, ainda não registada. Como objetivos estratégicos a empresa pretende manter-se na fronteira tecnológica do seu setor, assegurar a contínua atualização de conhecimentos da sua equipa, empenhar-se sistematicamente com afinco na sua atividade, trabalhar de acordo com as mais avisadas e potentes práticas e metodologias, internacionalizar-se e granjear uma crescente notoriedade. Como objetivos SMART, a empresa pretende, nomeadamente: * Obter as certificações NP 4457 e ISO 13485 * Desenvolver no próximo quinquénio, um produto novo por ano * Ser reconhecido até ao final do primeiro trimestre de 2016 como laboratório de referência da ECVAM em Portugal para os ensaios alternativos aos animais *Atingir um volume de negócios de 500 mil euros em 2018, do qual 50% será internacional

Com o presente projeto a empresa pretende o registo internacional das marcas Labfit e Dermalstick, bem como o registo nacional da Dermalstick. Pretende ainda registar e proteger uma nova patente resultante da atividade I&D da Labfit. Paralelamente pretende desenvolver ações de benchmarking com vista à validação de novos métodos para implementação regulamentar, e visa a contratação de dois técnicos de grau VII (Mestre). Pretende ainda obter a certificação do seu sistema de organização, pelas normas de investigação e desenvolvimento NP4457, ensaios em dispositivos médicos ISO 13485 e de Boas Práticas de Laboratório, atribuída pelo INFARMED. A empresa enquadrou o projeto nas tipologias "Economia digital e tecnologias de informação e comunicação (TIC)", "Criação de marcas e design", "Proteção de propriedade industrial", "Desenvolvimento e engenharia de produtos, serviços e processos?, "Transferência de conhecimento" e "Qualidade".